No Blog anterior, sobre a contribuição científica feminina tratamos nos atualizar sobre nossa situação nos últimos anos. Porém, uma atualização ainda mais recente se faz necessária, diante o momento complicado em que estamos vivendo de pandemia decorrente do Coronavírus. Assim, neste Blog vamos abordar sobre como anda a nossa produção científica diante o isolamento social.

Trouxe abaixo uma ilustração de Deb Monti,  que criou uma série de desenhos chamada: “De repente, precisávamos decidir onde era nosso lar”, onde retratou o cotidiano de isolamento. Podemos observar uma pessoa sendo representada com um livro na mão, provavelmente sendo este cenário de muitas pessoas nessa quarentena. E como as mulheres estão lidando com essa nova realidade de Home Office?

Graças a Deus, chegou o fim de semana. Finalmente, tenho tempo para sentar e fazer nada! – Ilustração Deb Monti.

Para responder essa pergunta, o The Lily - um jornal só de mulheres, publicou um artigo com o título: “Women academics seem to be submitting fewer papers during coronavirus. ‘Never seen anything like it,’ says one editor” - “Acadêmicas parecem enviar menos artigos durante o coronavírus. ‘Nunca vi nada parecido’, diz um editor”. Onde abordam editores de revistas científicas e nos mostram a queda de submissão de artigos por parte das mulheres.

O artigo nos traz que em seis semanas após a auto-quarentena generalizada, os editores de revistas acadêmicas começaram a perceber essa tendência de que mulheres parecem estar enviando menos artigos e que se deve ao fato, inquestionável, de mulheres assumirem a maior parcela das responsabilidades familiares e domésticas. O que em épocas de isolamento social acaba que se intensificando e dificultando o Home Office das mulheres cientistas.

Eles ainda compararam a quantidade de submissões femininas e masculinas em revistas científicas entre janeiro a abril de 2020, com o mesmo período dos anos anteriores, e revelaram uma queda geral de submissões femininas, mais especificamente, uma redução de até 50% menos produtividade/submissão entre as mulheres e aumento de  produtividade/submissão masculinas em mais de 50%. 

Essa informação nos faz refletir quanto às diferenças de gênero. Se homens e mulheres estão em casa, todos em isolamento teoricamente, porque os homens “encontram uma maneira” de realizar mais trabalhos acadêmicos? O artigo traz ainda um exemplo de “Pare o relógio” que mostra quão benéfico é para a produção do homem estar em casa. Esta é uma política que permite que homens tire um ano de folga após ter um filho e, não coincidentemente, há um aumento no seu desempenho profissional comparado às mulheres que também solicitam a mesma política, porém tem que se dedicar exclusivamente ao bebê.

Algumas das responsabilidades são determinadas pela biologia e não tem como ser “passadas” ao parceiro. A exemplo disso, tem-se a amamentação; se uma mulher escolhe amamentar exclusivamente seu filho, isso leva horas do dia, de todos os dias, durante meses. Além de outras complicações, como a recuperação física ao dar à luz e ao fato que de para escrita de artigo científico se necessita dedicação/tempo e “inspiração” para escrever. Processos estes que necessitam de todo um ambiente propício para a execução.

Essas informações só reforça o quanto enquanto como ainda é desigual a relação entre os gêneros com relação a casa e aos filhos, que acabam afetando a produtividade e o desempenho profissional das mulheres. Além de tarefas domésticas e maternidade, no isolamento ainda encontramos outros dilemas, muito sérios, enfrentado por mulheres, como por exemplo o aumento da taxa de gravidez indesejada e a violência doméstica. O sentimento que fica é de que um dia possamos amenizar essas diferenças e poder trabalhar de “igual para igual” ao lado de homens.

 

Referências

 

GROSSI, Márcia Gorett Ribeiro et al. As mulheres praticando ciência no Brasil. Revista Estudos Feministas, v. 24, n. 1, p. 11-30, 2016.

 

 

Kitchener, C. Women academics seem to be submitting fewer papers during coronavirus. ‘Never seen anything like it,’ says one editor, 2020. Disponível em: <https://www.thelily.com/women-academics-seem-to-be-submitting-fewer-papers-during-coronavirus-never-seen-anything-like-it-says-one-editor/>. Acessado em: 04 Abr. 2020.

neurosciencegrrl brainsupport Brainsupport.co BrainLatam Neuroinsight logo iamChurch logo theneurosoft
-->