Sabe quando você ia brincar de boneca? ou quando você ganhava conjuntos de casinha, mesa, coisas de costura, etc. Você já parou para pensar porque tinha preferências por esses brinquedos? e mais, se realmente existia essa preferência ou se você foi ensinado a preferir? e qual a influência da religião nesse processo. 

 

Fonte: Historiainte.blogspot.com (2014)

 

Nas últimas décadas, a história sofreu transformações teóricas e metodológicas que modificaram o curso do “olhar” sobre muitas questões. Os historiadores passaram a se preocupar com essa parte que esteve por séculos à margem dos estudos históricos, como por exemplo o assunto de gênero. E AS MULHERES NA AMÉRICA LATINA?

Independência? Igualdade? Liberdade? Progresso? Justiça? Foram alguns dos valores utópicos levantados no período em que as nações latino-americanas assumiram suas lutas de independência em face das Metrópoles espanholas e portuguesa sendo a educação um instrumento para a sua concretização. E qual foi o papel e as consequências sobre as mulheres nesse processo de independência e de descolonização?

Primeiro é importante estabelecer o conceito de colonização. Esta, refer-se a uma ação dominadora da conquista violenta, ou seja, não é algo consensual. A colonização na América latina serviu também como um movimento que mascarava a dominação, a exploração ea violência dos corpos procurando, muitas vezes, encobrir a brutal violência sobre as mulheres colonizadas .

A missão colonizadora hierarquizou a humanidade, gerando consigo uma gama de classificações sociais, envolvendo somente a raça, posição social e classe, mas também as relações de gênero . Dessa forma, houve também um processo de colonização dos sexos que serviu ao projeto de poder da modernidade / colonialidade. Esse contexto interferiu e interfere em todas as atitudes, posturas, cultura, ideia e valores que são pregados sobre nossa sociedade e, exigidos da mulher latino americana. Algo não nosso, não escolhido e determinante !!!

Pois é, não é facil ser MULHER, CIENTISTA, ter 30 anos e NÃO ter filhos na América Latina! Não fomos ensinados a ser assim. 

 

Referências

TEDESCHI, Losandro Antonio. A História das Mulheres e as representações do feminino na história. Campinas: Curt Nimuendajú , 2008.

 

LIMA, Adriane Santana. Educação das Mulheres na América Latina: um olhar decolonial. Educação & Realidade , v. 44, n. 3, 2019. 

 

neurosciencegrrl brainsupport Brainsupport.co BrainLatam Neuroinsight logo iamChurch logo theneurosoft
-->